OS 10 LUGARES MAIS LOUCOS QUE AS PESSOAS VISITARAM PARA O YOUTUBE

A cada minuto, 500 horas de vídeo são enviadas ao YouTube, tornando-o o mercado mais saturado desde que a Starbucks abriu uma loja em aparentemente cada quarteirão de Manhattan. Canais do YouTube com tema de viagens não são tanto um nicho, mas um grande buraco com um “Todos sejam bem-vindos!”, O que significa que alguns YouTubers de viagens agora estão se aventurando em território perigoso para atrair os cliques. No artigo de hoje, vou te mostrar os 10 lugares mais loucos que as pessoas visitaram para o YouTube. Você está Em Marte, o seu site de curiosidades!


📌 10º lugar - Chechênia, Rússia - Bald and Bankrupt:



Este aventureiro britânico que fala russo não é estranho a um passeio pelo lado selvagem, tendo feito vídeos no Saara, Sinaloa e Bolívia. Mas é na ex-União Soviética que está seu coração. As viagens na Bielo-Rússia e na Ucrânia devastada pela guerra foram bem recebidas por seus três milhões de assinantes. Embora suas visitas às províncias mais perigosas da Rússia - como o Daguestão e a vizinha Tchetchênia - realmente demonstrem como ele é um viajante destemido.

Em um lugar que a maioria dos viajantes sãos assumiria todos os custos para evitar, Calvo e falido (ou Benjamin Rich, como ele também é conhecido) cambaleia sonolento para fora do trem, solta um típico "Crikey!" na temperatura fria, e então serpenteia feliz ao longo de uma estrada de cascalho encharcada de poças, visando o que ele vagamente espera ser o centro da cidade. Não há um insurgente à vista enquanto ele explora os desfiladeiros sinuosos da Tchetchênia com seu motorista de táxi e amigo recém-descoberto, Ruslan.


📌 9º lugar - Lima, Peru - Kurt Caz:



Quando se trata de um viajante cujos títulos de vídeo geralmente contêm a frase “bairro mais perigoso”, pode ser difícil escolher apenas um. No entanto, neste vídeo, o jovem sul-africano é visto em sua posição mais vulnerável até o momento. Ele está sozinho no topo de uma colina no gueto da favela Rímac, no norte de Lima, depois de vagar por ruas quase desertas e degradadas, onde vozes preocupadas o avisam que ele será roubado, ou pior.

Na verdade, o momento quase chega - um motorista de tuk-tuk sombrio que o leva ao cume parece muito interessado em fazer ligações silenciosas enquanto insiste para que ele fique. E um encontro suspeito que Kurt teve no lado árido da colina depois disso sugere que seu instinto de não se demorar estava certo.


📌 8º lugar - Camarões - PPPeter:



Chegando em um navio cargueiro da Nigéria, a polícia local em Tiko, Camarões, imediatamente insiste em enviá-los pela fronteira com a Nigéria, um lugar considerado muito mais seguro. Apesar de um "tiroteio em massa" por um movimento rebelde a apenas algumas centenas de metros de distância, Peter opta por ficar.

O que se segue é uma estadia de três dias em um navio no porto, seguida por uma corrida à meia-noite de tirar o fôlego, organizada pela embaixada tcheca em direção à região mais segura de língua francesa dos Camarões. Para um homem que sofreu vários episódios de intoxicação alimentar e um caso de malária com risco de vida, você pode pensar que ele aceitaria tal perigo em seus passos. Mas até mesmo Peter, viajante intrépido que seja, diz que é o maior medo que ele já teve em sua vida.


📌 7º lugar - Afeganistão - Indigo Traveler:



Se você assistiu ao noticiário nos últimos vinte anos, deve ter notado que o Afeganistão não é realmente o tipo de lugar para se encontrar no topo da lista de desejos de qualquer pessoa. Assolado por décadas de guerra e violência diária, este país da Ásia Central raramente é retratado como outra coisa senão isso. Isso até o Indigo Traveller fazer este vídeo em 2019, uma peça jornalística que consegue evitar a exploração enquanto ainda retrata as lutas diárias que o povo afegão enfrenta na cidade de Mazar, no norte do país.

Entrevistas com vários vendedores do mercado mostram um lado humano que muitas vezes está ausente da cobertura das notícias diárias. Uma visita particularmente angustiante a uma clínica de nutrição do UNICEF nos permite ver alguns dos trabalhos cruciais que estão sendo realizados antes do retorno do Taleban. O que é mais louvável, porém, é a disposição do Indigo Traveler de reduzir seu próprio tempo na tela para dar tempo às pessoas que ele entrevista.


📌 6º lugar - San Salvador, El Salvador - Alex Outhwaite:



Ter a maior taxa de homicídios do mundo não é bom para os turistas, e é por isso que El Salvador é um dos países menos visitados da América Latina. É uma nação atormentada por crimes trágicos e violentos, corrupção política e gangues de rua. Como qualquer boa viagem do YouTuber, Alex consegue pintar um quadro diferente de um país onde as notícias nem sempre são positivas.


📌 5º lugar - Chernobyl, Ucrânia — Shiey:



Existem muitos vídeos de Chernobyl no YouTube hoje em dia, especialmente depois da série de sucesso da HBO. Mas o que separa os vídeos de Shiey do resto é o fato de que ele não deveria estar lá. Chegando com dois amigos depois de uma jornada noturna por aldeias ucranianas abandonadas, florestas e rios profundos, Shiey mostra o lado da zona de exclusão que a maioria dos turistas nunca vê.Enquanto evitam as patrulhas de segurança regulares, eles exploram uma série de prédios em ruínas e até passam a noite dormindo em um apartamento vazio.

O momento mais perturbador, porém, é quando o destemido Shiey sobe bem alto na instalação do radar Duga, uma engenhoca gigante da era soviética que fica a quase 150 metros. Há debates a serem travados sobre a ética dessa viagem, mas não há como negar que isso torna a visualização compulsiva.


📌 4º lugar - Mogadíscio, Somália - Drew Binsky:



Antigamente, pensávamos na Somália apenas como a terra devastada pela guerra e violenta retratada no filme Black Hawk Down. Mais recentemente, essa imagem da Somália foi substituída na consciência coletiva como uma terra de piratas, devido aos recentes eventos de sequestro de navios no Golfo de Aden. No entanto, Drew Binsky nos traz uma terceira imagem, muito mais vibrante, da Somália.

Há imagens contrastantes de prédios degradados próximos a coloridas sorveterias, milícias armadas desfilando por praias de areia branca, hotéis modernos e as barreiras construídas para protegê-los de ataques terroristas. Certamente não é uma cidade que você possa chamar de segura, mas com seus mercados movimentados e cidadãos animados, talvez também não seja o lugar que tínhamos em mente.


📌 3º lugar - Detroit, Michigan, EUA:



Os bairros degradados de Detroit podem não ser o lugar mais perigoso do mundo, mas pelos padrões americanos, eles têm uma classificação elevada. Eles são famosos por crimes de gangue e vivem em extrema pobreza, e raramente são o cenário para um vídeo de viagem no YouTube.

Em uma série dedicada a explorar as áreas mais carentes do centro da América, Charlie Bo nos mostra um lugar que, de outra forma, nunca ousaríamos nos aventurar. Este vídeo não tem o toque pessoal encontrado em outros vídeos desta lista enquanto ele grava enquanto dirige seu carro. No entanto, dada a reputação da área que ele está visitando, é bastante compreensível.


📌 2º lugar - A Porta do inferno, Turcomenistão - Fearless & Far:



Pode não ser realmente um portal para o submundo, mas como um enorme poço de fogo perpétuo, pode muito bem ser. A cratera de gás Darvaza está queimando desde 1970 e está em segundo lugar na lista do Tripadvisor de coisas para fazer no Turcomenistão, o que por si só diz muito sobre este país misterioso.

Governado por um ditador autoritário com seu próprio culto à personalidade, este país da Ásia Central pode ser difícil de entrar, especialmente se você tiver intenções jornalísticas. Mike Corey, o criador deste canal, aproveita ao máximo sua permissão de viagem e mostra algumas imagens incríveis do Turcomenistão, incluindo uma capital branca imaculada construída quase inteiramente de mármore. Mas é este vídeo em que ele assa marshmallows sobre a menos provável fogueira de acampamento que realmente captura a imaginação.


📌 1º lugar - Síria - Jacob Laukaitis:



Hoje em dia, pensamos na Síria como um lugar para o qual as pessoas estão tentando fugir, em vez de entrar. Não é assim para Jacob Laukaitis, um cineasta lituano com uma queda por fazer vídeos que entram na pele de países que a maioria de nós nem sonharia em visitar. Entre conversas com os habitantes locais e fotos amplas da deslumbrante paisagem síria, Jacob inclui fragmentos curtos e informativos que detalham os eventos da guerra civil síria.

Este é um relato sem barreiras da nação, e o vídeo nos leva das surpreendentes realidades da vida moderna em Damasco às cenas horríveis de Aleppo. Dos cafés chiques e shoppings da capital, o espectador é levado para testemunhar as consequências da guerra, onde edifícios bombardeados e ruas com crateras crateras ainda são chamados de casa pelos residentes surpreendentemente esperançosos. Este vídeo é uma peça jornalística integrativa e que retrata o povo sírio sob uma luz calorosa, em contraste com a cobertura negativa da imprensa que frequentemente enfrenta.

65 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo